quinta-feira, 30 de junho de 2011

GRANDES Dúvidas Que Atormentam a Humanidade!


É factível que Óleo de Peroba ajuda a melhorar a imagem de um sujeito cara-de-pau?

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Iguais, Porém Diferentes!


A ministra do meio ambiente, Izabella Teixeira e a comediante Fafy Siqueira.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Um Centavo Por Seus Pensamentos...


Por Albert Einstein:

"O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer."

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Ou será que não? – Um Blog De Portas Abertas.


Sinta-se sempre bem-vindo ao blog "Ou será que não?", um espaço para a variedade, a informação, o entretenimento e o bom humor. Nossas postagens procuram agradar aos mais diferentes gostos, através de seções variadas, ensaios de interesse comum e diversidade de temas. O Homem Do Canadá lembra a todos que temos o Almoxarifado do blog, nosso atalho para postagens mais antigas, porém não menos importantes. Aproveite esse espaço para comentar, aprender, opinar e até se divertir. Afinal, o blog é feito para você.

domingo, 26 de junho de 2011

Seção Ácaro – Grandes Momentos Da Propaganda: Televisão Colorado RQ


Para aqueles que tinham alguma dúvida sobre a existência do modelo de televisão Colorado a cores, está aí um anúncio de meados da década de 1970 que apresentava as qualidades do mais novo produto da técnica eletrônica brasileira. Com 26”, a Colorado Colorido fazia-se valer pela crescente variedade de atrações que passou a ser transmitida em cores na mesma época: telejornais, futebol, Chacrinha, desenhos animados, seriados, filmes de bang bang e até o Programa Silvio Santos (um dos poucos apresentadores em atividade mais antigos que a própria TV em cores!), receberam destaque no anúncio, mostrando ao consumidor que ele não investiria no equipamento para continuar assistindo programas transmitidos em preto e branco. “Mesmo porque tem a famosa Reserva de Qualidade RQ. Compare com qualquer marca. Seja homem do seu tempo. Se você pode, passe para Colorado Colorido, o melhor televisor colorido do Brasil”. Mas aí o tempo passou, a TV Colorado acabou, o Brasil mudou e, atualmente, possuir um exemplar de uma Colorado Colorido é algo quase reservado a museus – só a nostalgia de uma época cada vez mais longínqua persiste, colorida, na nossa memória.

sábado, 25 de junho de 2011

Retrato em Branco & Preto: Como Esquecer a Televisão Colorado?


Ter uma televisão dentro de casa há tempos deixou de ser um luxo reservado aos mais abastados. Seja um aparelho com tela LCD, de todos os tamanhos possíveis e excelente qualidade de imagem, a variedade de opções e a facilidade de financiamento permitiram que grande parte dos brasileiros adquirisse um bom televisor. Isso sem mencionar o leque de opções de programação, consideravelmente ampliado a partir do advento da Tv por assinatura.
Mas nem sempre foi assim: durante as décadas de 1960 e 1970, as emissoras e retransmissoras de Tv do país se arrastavam, driblando as limitadas tecnologias da época e as dificuldades para manter no ar uma boa grade de horários. O rádio ainda reinava, principalmente nas regiões e cidades mais ermas do Brasil e a transição para a televisão ocorria de forma morosa. Foi nesse contexto de pioneirismo e superação que surgiu a Colorado Rádio e Televisão S.A., oferecendo, a preços mais acessíveis, a Colorado RQ. Com seu slogan “Prestígio e categoria com reserva de qualidade”, a empresa fez uso do futebol como ferramenta para popularizar a marca, tendo Pelé como garoto propaganda durante um longo período. Aproveitou os ganchos das Copas do Mundo de 1970/1974, disponibilizando aparelhos em praças públicas de pequenas cidades do interior durante a transmissão de jogos. Dois modelos em preto e branco se tornaram bastante conhecidos: a Colorado Iguaçu e a Colorado Ipanema, mas o fabricante chegou a produzir aparelhos à cores – uma grande novidade no país em meados da década de 1970.
A televisão era simples: tinha um botão que sintonizava canais de 2 a 13 VHF (televisores que contavam com o canal 1, em geral, tinham-no para transmissão UHF), outro para controlar o contraste e mais dois para acertar o horizontal e o vertical. O acabamento abusava de materiais plásticos e não eram raros os pequenos problemas com a regulagem da imagem, que costumavam irritar os proprietários. Todavia, não foi tanto pela simplicidade que a Colorado RQ desapareceu do mercado a partir de 1980: a concorrência se tornou mais acirrada a partir da entrada de marcas estrangeiras com preços igualmente acessíveis e qualidade superior. Para os saudosistas, resta a opção de sites de vendas como o Mercado Livre (
www.mercadolivre.com.br) nos quais é possível adquirir um exemplar ainda funcionando e em bom estado. E por que não? Afinal, a Copa do Mundo de 2014 vem aí!

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Seção Cult: "Druuna", de Paolo Serpieri


Druuna certamente não se casaria na igreja e provavelmente não estaria interessada numa vaga como secretária executiva de uma multinacional. Druuna não mimaria os filhos porque não os teria. Druuna é suja, pervertida, promíscua – mas, acima de tudo, Druuna é dona de uma sensualidade que toda a mulher gostaria de ter. Muito conhecida entre os fans de quadrinhos adultos e musa da turma que curte heavy metal, a personagem é criação de Paolo Serpieri. Nas histórias futuristas de Druuna, uma doença apavora a humanidade, uma vez que o vírus da moléstia tem a capacidade de transformar humanos em mutantes sexualmente pervertidos. Nesse mundo de umbrais depravados e redutos da orgia, Druuna se submete à prostituição como forma de obter antibióticos capazes de ajudar o namorado, mais uma vítima da doença.
Serpieri desenvolveu a trama entre 1985 e 2003 nos álbuns "Morbus Gravis", "Druuna - Obsessão", "Creatura", "Mandragora", "Aphrodisia" e "O Planeta Esquecido". Existe ainda uma edição rara, de 1981, que apresentou a personagem pela primeira vez. Porém, em todos os álbuns, o traço perfeito de Serpieri se faz presente, tanto na riqueza de detalhes em cada quadro quanto nas aventuras erotizadas de Druuna – não raro, sadomasoquistas, pervertidas e explícitas.
Não é leitura para quem tem estômago fraco e muito menos pode ser recomendada a menores de 18 anos. Talvez por isso Druuna seja o tipo de quadrinhos dos mais cultuados, ainda que pouco conhecido do grande público. Todavia, entre as experiências quase alucinógenas de Druuna e a realidade científica que a envolve, o leitor certamente se delicia com o roteiro envolvente e as ilustrações impecáveis de Paolo Serpieri: juntos, criador e criatura culminam numa das mais bizarras e bem acabadas obras-primas do universo HQ.
Site oficial:
http://www.druuna.net/

quinta-feira, 23 de junho de 2011

As Difíceis Escolhas Da Vida: A Complicada Simplicidade Do Casamento (3ª Parte)


Muitas perguntas vêm à mente quando nos casamos, indagações do tipo “como vou dar fim à minha sogra?”, “quem vai botar comida para o cachorro?” ou ainda “o sexo depois do casamento continuará sendo possível?”. É o tipo de questionamento natural se levarmos em conta as diferenças peculiares a homens e mulheres. Por isso, O Homem do Canadá preparou mais uma lista de comparações comuns àqueles que decidem colocar a corda no pescoço com a sagrada união carnal! Vamos a elas:
* Se você admira um lindo corpo feminino usando roupas provocantes, ela te chama de tarado. Se não fala nada, é um boiola;
* Quando ela pede para que você faça alguma coisa que não gosta, é um favor. Mas se você pede algo similar a ela, é escravidão;
* Se você gosta que ela se mantenha em forma e ande perfumada é porque não passa de um machista. Porém, se você resolve se cuidar é um mané cheio de frescuras;
* Quando consegue manter a forma, é um vaidoso metido à besta. Quando engorda, ela te chama de relaxado;
* Quando compra flores para ela, escuta que só fez isso porque está interessado em alguma coisa. Se nunca compra flores, ela diz que não é capaz de se lembrar dela;
* Se você fica orgulhoso de suas vitórias, ela te chama de pedante vaidoso. Mas se não conquista nada na vida, é um preguiço sem qualquer ambição;
* Quando você se sente esgotado após um dia intenso de trabalho, ela reclama que você não dá prioridade às necessidades dela. Mas quando ela se sente cansada após o trabalho, ela diz estar com cólica ou dor de cabeça e vai dormir;
* Se você a procura para que tenham muito sexo, ela reclama que você é um maníaco sexual. Mas se você não a procura para muito sexo, ela te arruma um belo par de chifres!

Tá pensando que casar é fácil? Experimenta que você vai ver...

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Seção Colírio: Não Me Peçam Para Trocar a Lâmpada!


A gata da Seção Colírio dessa semana faz isso com muito mais competência – e que competência! Sabem aquelas “tarefas de homem” tipo instalar o botijão de gás, jogar o lixo fora ou trocar o pneu do carro? Dependendo da situação, pode ser um ótimo negócio permitir às mulheres que as façam – principalmente se forem elas tão deslumbrantes quanto a prestativa modelo aí da foto. E mesmo que o serviço não fique tão bem feito, com certeza será realizado de maneira bem mais interessante. Quem sabe ela não toma um choque e cai direto no seu colo! Pois é, prezado visitante: o melhor mesmo é controlar a imaginação e aguçar as vistas diante de toda a sensualidade deste verdadeiro colírio de hoje!

terça-feira, 21 de junho de 2011

Seção Sexo – Reproduzindo Conceitos: As Dez Melhores Pornochanchadas Que Você Não Viu Porque Não Tinha 18 Anos!


A Seção Sexo das próximas semanas levará o visitante do blog a uma viagem no tempo, relembrando películas que fazem parte da história do cinema nacional. Não são exatamente clássicos nem possuem grandes roteiros, mas deram conta do recado ao qual se propuseram: levar ao público entretenimento regado à sacanagem, erotismo e despudor, num tempo em que os órgãos de censura exerciam grande influência sobre as artes. Estabeleceram um gênero cuja definição é até hoje contestada por diretores e críticos: a Pornochanchada. A denominação ficou popular e é utilizada como rótulo para filmes de alto apelo sexual e baixo orçamento. E então: vamos deixar as preliminares de lado e ir logo às vias de fato? De repente, poderá ser bom para você!

8º Lugar: A Banana Mecânica

Mais um exemplo de película da época que fazia referência a um sucesso de Hollywood: “A Laranja Mecânica” (1971, que durante mais de uma década teve sua exibição em circuito nacional proibida pela censura). Porém, “A Banana Mecânica” rodou por aí e até rendeu a inesquecível Henriqueta Brieba o prêmio de melhor atriz coadjuvante no Festival de Cinema de Belém de 1974. Produzido pela Carlos Imperial Produções Cinematográficas, trazia no elenco o próprio Carlos Imperial, a já citada Henriqueta Brieba, o sensacional Ary Fontoura, além de outros nomes como Felipe Carone e Pedro Aguinaga.

Sinopse:
Um psicanalista (Dr. Ferrão) mantém coluna de jornal e um consultório nos altos da boutique de Marcela, mulher que faz tudo para ajudá-lo em suas conquistas amorosas.Entre seus clientes destaca-se Paulo Frederico, jovem de maneiras efeminadas em tratamento de recuperação. Preocupado em demonstrar uma nova tese sobre o amor conjugal, Dr. Ferrão utiliza em suas experiências mil mulheres, como cobaias.Nessas experiências entram Dona Neuza e Cristina, esposa e sobrinha de seu amigo Cornélio que, desconfiado das intenções do psicanalista, contrata um detetive particular para investigar o caso. Fisgado pelos encantos de Cristina, Dr. Ferrão é, no entanto, repelido quando trata de antecipar uma experiência conjugal, terminando por pedir a moça em casamento. As experiências do Dr. Ferrão culminam com o que denomina "sex-surprise", reservando para si a doce Cristina. Enquanto isso, Marcela acaba se tornando a musa inspiradora na recuperação de Paulo Frederico, o rapaz efeminado
Para maiores informações, visite: http://filmescomlegenda.net/

segunda-feira, 20 de junho de 2011

DesCLASSIFICADOS: As Melhores Ofertas Para Você Perder Dinheiro!


ATENÇÃO: Informações como telefone, nome do vendedor e site de origem foram ocultadas para proteger a identidade do anunciante.

GURGEL BR-800 motor de fusca R$ 2.300

Carros: GURGEL BR-800, modelo 1990, 1300 cilindradas, com 13.000 quilômetros, Prata, Gasolina. gurgel 1990 prata é a cor, motor de fusca, documentos a pagar 2 anos 400 reais, mais uma multa de 300, o carro tem coisa boba pra fazer, ta andando, depois de pronto esses carros costuma de valor de seis sete mil. Telefone XXXX-XXXX Preço: R$ 2.300

Análise do Blog:
Tudo bem que a Gurgel seja hoje um capítulo importante da história do automobilismo nacional, mas no caso deste BR-800 o único exemplo com o qual pode estar relacionado é o de como entrar numa fria! Para isso, basta fazer as contas: o anunciante quer R$2.300,00 pelo carro que, somados a R$300,00 de multa e mais R$400,00 de documentos, perfazem o valor total de R$3.000,00. É bem possível que haja documentação pendente – não mencionada pelo vendedor para não assustar algum incauto comprador – e aí vai mais uma grana no despachante para regularizar, supondo que isso seja possível. Depois vem revisão da parte elétrica, troca de fluidos, talvez bateria, eventualmente alguma peça... Enfim: com um pouco mais de dinheiro é possível encontrar um BR-800 em situação melhor e que certamente dará ao comprador uma cefaléia bem menor do que aquela que se esconde por trás do veículo oferecido neste anúncio – uma imensa dor de cabeça da qual o anunciante está louco por se livrar!

Conclusão do blog:
Se “o carro tem coisa boba pra fazer, ta andando” e “depois de pronto, costuma ter valor de R$7.000,00” , por que o próprio anunciante não faz tais melhorias e oferece o carro em melhores condições? Do jeito que está, a única coisa boba que alguém pode fazer é cair na conversa fiada do vendedor. Um salve aos bons tempos da Gurgel – mas não para o anunciante deste Gurgel!

domingo, 19 de junho de 2011

Seção VIRABREQUIM: Como Esquecer a Gurgel?


Embora pareça mais uma Seção Retrato Em Branco & Preto do blog, o assunto da Seção VIRABREQUIM desta semana é automóvel mesmo. E não apenas um carro como tantos outros, mas sim um dos grandes ícones de nossa história automobilística, tanto por seu pioneirismo quanto pela sua ousadia: a genuinamente brasileira Gurgel Motores S/A. E quando o assunto é Gurgel, uma das coisas que a história nos ensina é que o governo brasileiro sabe bem como ser passional quando decide pôr a perder uma interessante visão de futuro – e foi assim com a montadora fundada em setembro de 1969 pelo engenheiro João Augusto Conrado do Amaral Gurgel. Nascida no auge do Regime Militar, a empresa – que produzia karts e mini-carros no início da década de 1960 – teve no bugre Ipanema seu primeiro automóvel, porém outros sucessos viriam nos anos seguintes.
Foram 43 mil veículos ao longo dos 27 anos de existência, modelos como o Xavante X12 TR (1972), Xavante X12 (1975, conhecido por suportar bem as terríveis estradas da época), G800 (1982), Jipe Carajás (1984) e os consagrados BR800 (1988) e Supermini (1992, um carro pensado para o trânsito das grandes cidades), dentre outros. No exterior, a Gurgel também agradava: entre 1977 e 1978, cerca de 25% dos carros produzidos pela montadora seguiram para outros paises. Além disso, em 1979, toda a linha teve boa aceitação no Salão do Automóvel de Genebra (Suíça), ocasião aproveitada para o lançamento do furgão X15. Como se não bastasse toda a sua ousadia, a Gurgel produziu na década de 1970, em caráter experimental, o Itaipu, o primeiro modelo nacional 100% elétrico.
Todavia, quando a Gurgel entrou em crise no início da década de 1990, os sucessos obtidos pela empresa não foram suficientes para sensibilizar o governo brasileiro – crise essa motivada por medidas oficiais, como a abertura do mercado nacional aos importados e as facilidades concedidas às montadoras estrangeiras através da política de “carros populares”. Talvez como vendeta ao fato de o Exército Brasileiro ter sido o principal cliente da Gurgel durante anos, o então novo governo civil negou o pedido de socorro financeiro feito pela empresa, o que contribuiu para a falência da Gurgel em 1994 – permanecendo parcialmente ativa até 1996. João Augusto C. do Amaral Gurgel morreu em 2009, aos 83 anos e, com ele, parte da esperança de o Brasil ter algum dia uma grande indústria automotiva totalmente nacional. Lamentável e vergonhoso.
Para saber mais sobre a Gurgel e seus carros, visite o site: www.gurgel800.com.br

sábado, 18 de junho de 2011

As Coisas Esquisitas Desta Vida: O Tempo


Não raro, sentimos aquela vontade de parar, de jogar tudo para o alto e mudar o rumo de nossas vidas, seguindo em frente e saindo da mesmice. É como se um ciclo de nossas vidas tivesse se fechado para, em seguida, abrir-se outro – mas sem que saibamos direito que rumo tomar.
Quando assim nos sentimos, parece que queremos muito, mas, na verdade, nesses momentos precisamos de pouco, apenas um lugar e um tempo diferentes para viver, conhecendo novas pessoas, provando novos sabores, desfrutando os odores suaves da escolha bem feita na plenitude individual de sentir-se novamente em harmonia com os exteriores, apaziguados por toda a ternura que, somente assim, voltaremos a sentir...
Não se trata de carências afetivas, opção religiosa ou dogmas exotéricos. Trata-se apenas de nós mesmos e, por mais esquisito que possa parecer, é uma sensação munida da mais tênue normalidade. É a simples necessidade de nos aprofundarmos naquilo que realmente queremos e precisamos para, só então, encontrarmos a indelével consonância com tudo aquilo que, tanto o mundo quanto a vida, esperam de nós.


Foto: cidade de Inuvik, Canadá,NWT, 1985 ( http://photomondiale.com/tours/inuvik_1985/ )

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Seção Check in: Papua-Nova Guiné


Recebendo apenas 20 mil turistas por ano, Papua-Nova Guiné é comumente chamado de “paraíso desconhecido” – para efeito de comparação, as pequenas ilhas Fiji abraçam quase meio milhão de visitantes anualmente. Bom para os espaços naturais de Papua-Nova Guiné: suas belas paisagens permanecem preservadas, quase intocadas. Localizado na distante Oceania, o país possui 462.840 km² e sua população de 6 milhões de habitantes chega a fazer uso de 850 idiomas diferentes. Descoberta por portugueses e colonizada por ingleses, a região foi cedida à Austrália em 1906 – mas seu território só foi completamente definido em 1971, com a parte ocidental da ilha anexada à Indonésia, enquanto a parte oriental tornou-se Papua-Nova Guiné. A conquista da independência levou mais alguns anos, uma vez que somente em 1975 o país se tornou soberano.
O país é também o paraíso dos praticantes de mergulho: seus mares guardam as espécies mais exóticas imagináveis, de peixes trombetas e moluscos coloridos a conchas gigantes e estrelas do mar. Além da biodiversidade marinha e terrestre, o visitante pode ainda conhecer pontos turísticos fabulosos como:
•Port Moresby: a capital de Papua-Nova Guiné possui centros de compras, prédios históricos e boas acomodações;
•Madang: com seus parques, canais, vulcões ativos e praias paradisíacas é considerada a cidade mais bonita do Oceano Pacífico;
•Rabaul: região onde é possível realizar escaladas de vulcões e visitações a cavernas e túneis feitos pelos japoneses durante a Segunda Guerra Mundial.
Para chegar a Papua-Nova Guiné e desfrutar das maravilhas existentes no país, a melhor opção é a Cia. Aérea Air Niugini (como seus vôos partem da Austrália, o turista pode aproveitar e conhecer os dois paises de uma só vez). Na chegada ao aeroporto, pode-se obter um visto por 100 Kinas – é necessário fazer o câmbio antes de chegar a Papua-Nova Guiné, pois o pagamento do visto só é aceito em moeda local. Para maiores informações, basta colar em seu navegador:
http://www.portalsaofrancisco.com.br

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Agora, Falando Sério: A Democrática Ditadura Civil Brasileira


Quem está de fora até acredita que o Brasil é um país democrático, munido de respeito aos direitos e deveres e onde todos são iguais perante a Lei. Quem está de fora não vê os exageros de uma legislação que aprisiona as pessoas de bem com seu extorsivo sistema fiscal, legal e trabalhista e liberta condenados perigosos, concedendo-lhes direitos e benefícios descabidos para que saiam às ruas e possam cometer novos crimes contra estas mesmas pessoas de bem, cidadãos que já tem de suportar o duro fardo de carregar o país nas costas.
Quem está de longe pode até cair na conversa fiada de que a Justiça no Brasil funciona, muito por não saber o quanto às penitenciarias estão abarrotadas de marginais pobres, enquanto nas áreas nobres não faltam bandidos ricos e livres. Do estrangeiro se pensa que os políticos no Brasil representam o povo, quando, na verdade, este mesmo povo se envergonha dos políticos que tem – e, de quebra, ainda é julgado responsável por tê-los eleito, como se as pessoas dispusessem de algum meio para adivinhar a índole daqueles que se candidatam ou mesmo o que farão uma vez empossados.
A democracia no Brasil não passa de um mito cuja conjuntura se mostra uma aberração ridícula e bizarra. Os sinceros e verdadeiros opositores ao Regime Militar que morreram em função de suas escolhas, reviram-se nos túmulos e nas covas rasas diante da picaretagem, canalhice, safadeza e falta de caráter deste levante de calhordas que, eleição após eleição, vem se mantendo nas principais funções públicas e políticas do país – e isso em todas as instâncias, inclusive no Poder Judiciário, cuja imagem há tempos deixou de ser imaculada diante de tantos juristas seduzidos pelos encantos peçonhentos da corrupção e do interesse próprio, tão comuns na tal “democracia” pela qual a imprensa tanto se masturba.
Saudades tenho do ex-presidente Ernesto Geisel que, indagado sobre a transição que pretendiam lhe incumbir de fazer, negou-se com uma prerrogativa quase premonitória: “Não vou entregar meu país aos abutres”. O presidente Figueiredo o fez – e assim o país continua até hoje, cada vez mais desossado e eviscerado pelos carniceiros da ditadura civil em que se transformou.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

O Incrédulo Cúmulo Do Absurdo: No Rio de Janeiro, Governo Se Recusa a Negociar Com Bombeiros, Professores Em Greve e Médicos Que Ameaçam Parar!


Diabos! Onde está o pessoal do Tribunal De Nuremberg quando mais se precisa dele?

terça-feira, 14 de junho de 2011

GRANDES Dúvidas Que Atormentam a Humanidade!


É possível a um bom marchand avaliar o preço de uma fratura exposta?

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Iguais, Porém Diferentes!


O cantor Otto e o personagem Rolo, da Turma da Mônica.

domingo, 12 de junho de 2011

Ou será que não? - Um Blog De Portas Abertas!


Sinta-se sempre bem-vindo ao blog "Ou será que não?", um espaço para a variedade, a informação, o entretenimento e o bom humor. Nossas postagens procuram agradar aos mais diferentes gostos, através de seções variadas, ensaios de interesse comum e diversidade de temas. O Homem Do Canadá lembra a todos que temos o Almoxarifado do blog, nosso atalho para postagens mais antigas, porém não menos importantes. Aproveite esse espaço para comentar, aprender, opinar e até se divertir. Afinal, o blog é feito para você.

O Homem Do Canadá Também Está No Twitter!


Se você tiver a sensação de que está sendo seguido, não se assuste: serei eu.
Siga
@ohomemdocanada no Twitter: ele seguirá você.

sábado, 11 de junho de 2011

Retrato Em Branco & Preto: Como Esquecer a Rádio Mundial AM?


Atualmente não faltam opções de emissoras de rádio para os apreciadores da música, dos debates e da informação. Seja no carro, no celular ou mesmo na web, há programas de diferentes estilos para todos os gostos – alguns populares, outros nem tanto. Todavia, num passado não muito distante, as alternativas eram bem mais escassas e a disponibilidade de tecnologias, mais limitada. Foi o período de reinado das estações em AM, na virada das décadas de 1960/1970, quando ainda não se falava muito em Modulação de Freqüência e o Regime Militar apenas começava a liberar as primeiras concessões para rádios em FM.
É nesse contexto que a Rádio Mundial AM 860 kHz surgiu para embalar as histórias de diferentes gerações de ouvintes. Sob o comando e a direção do DJ Newton Duarte, o Big Boy, a Mundial consagrou-se ao longo da década de 1970 com uma programação Pop marcada pela versatilidade. Programas como Ritmos de Boate, Show dos Bairros, Toca Toca Mundial, Música do Dia, Good Night Mundial, Som dos Bailes, Cavern Club (que era transmitido às sextas-feiras exclusivamente com canções dos Beatles) eram apresentados por Big Boy e outras feras da locução, como Samuel França e Eloy DeCarlo. Além de gerenciar a programação, Big Boy promovia bailes em diversas casas de show do Rio de Janeiro – tanto empenho e dedicação do diretor e toda a equipe da rádio teve como principal conquista milhares de ouvintes fiéis espalhados por todo o Brasil, transformando a Mundial numa referência para outras estações AM e FM espalhadas pelo país.
Com a morte prematura de Big Boy em 1977 e a ascensão das emissoras em FM – em especial a antiga Rádio Cidade –, a Mundial entrou em irreversível decadência. Ao longo da década de 1980, a emissora buscou a manutenção dos níveis de audiência, fazendo uso das vinhetas originais e mantendo alguns programas consagrados – além de mudar a linha musical de Pop para Sucessos Populares e transmitir atrações de forte apelo junto ao público, como o Clube do Amor, apresentado por Alberto Brizola. Apesar das mudanças e de ainda contar com uma audiência respeitável, a Rádio Mundial foi tirada do ar pelo Sistema Globo em janeiro de 1993 e imediatamente deu lugar a atual CBN, especializada em notícias. Mas, pra quem tem saudade, é possível aliviar o sentimento de nostalgia baixando o CD “Ritmos de Boate”: http://waldecidjsetmusic.blogspot.com/2008_03_01_archive.html
ou fragmentos dos programas da Mundial:
www.4shared.com

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Seção Cult: “Perry Rhodan”


Para os apreciadores de ficção científica, “Perry Rhodan” é sinônimo de aventuras interplanetárias, universos paralelos e viagens no tempo. Mas pode ser interessante também aos leitores que não cultivam o hábito de enveredar pelo gênero - muito pela grande variedade de temas e enredos existentes ao longo dos 50 anos em que “Perry Rhodan” foi publicado.
Lançado na Alemanha em 1961 como um periódico semanal no formato livro de bolso, “Perry Rhodan” foi criado por K. H. Scheer e Clarck Darlton, que logo passaram a dividir as futurísticas histórias do astronauta com uma equipe alternada de escritores – daí a longevidade desta série literária, que ultrapassou a marca dos 2.500 exemplares. Possui uma narrativa dividida em ciclos, cada qual explicando alguma era dentro da cronologia da série e podendo se estender de 200 a 800 números. São eles:

•Via Láctea (do nº 1 ao nº 199)
•Galáxias Alienígenas (do n º200 ao nº 399)
•Desintegração do Império (do nº 400 ao nº 699)
•Superinteligências (do nº 700 ao nº 999)
•Código Moral (do nº 1000 ao nº 1399)
•Ativadores Celulares (do nº 1400 ao nº 1599)
•O Grande Enigma Cósmico (do nº 1600 ao nº 1799)
•Thoregon (do nº 1800 ao nº 2599)
No Brasil, “Perry Rhodan” foi publicado de 1975 a 1991 pela editora Ediouro, que lançou os episódios nº 1 a nº 536. Voltou a ser produzido 10 anos depois pela SSPG a partir do nº 650, porém a editora suspendeu a publicação em janeiro de 2007 após o lançamento do volume duplo números 846/847, deixando órfãos os fans brasileiros da série. Mas é possível fazer o download dos exemplares de “Perry Rhodan”: o 4Shared (http://www.4shared.com/) é uma das melhores opções, já que o site permite ao internauta baixar vários episódios de uma só vez. Viaje pelas emoções intergalácticas de “Perry Rhodan” e tenha uma boa leitura!

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Seção TV Pra Ti Ver: “MacGyver – Profissão Perigo”


Nada como um herói criativo para deixar o telespectador feliz! E que tal um herói capaz de interromper um vazamento de ácido usando barras de chocolate ou ainda consertar um radiador furado despejando ovos crus na água fervente? Assim era Angus MacGyver, personagem protagonizado por Richard Dean Anderson na série exibida originalmente pela rede norte-americana ABC, de 1985 a 1992, num total de 139 episódios ao longo de 7 temporadas.
Exageros à parte, “MacGyver – Profissão Perigo” conquistou a simpatia do público nos diversos paises em que foi transmitido. Grande parte de seu sucesso deveu-se aos roteiros criativos e repletos de ação, constantes à maioria dos episódios. Fazendo uso de metodologias mirabolantes e pouco ortodoxas, MacGyver conseguia escapar das mais terríveis e inusitadas encrencas, que poderiam incluir ditadores belicosos, terroristas sanguinários, empresas inescrupulosas ou poluidoras e, principalmente, seu pior inimigo, o indestrutível Murdoc. Quase sempre ao seu lado estava Pete Thornton, do DXS Departamento de Serviços Externos, interpretado pelo saudoso Dana Elcar.
No Brasil, “MacGyver – Profissão Perigo” foi exibido em TV aberta durante muito tempo pela Rede Globo, ganhando uma breve passagem pela TV Bandeirantes no final da década de 1990. Na TV por assinatura trilhou pelo antigo USA Network e é transmitido atualmente pelo TCM. É possível colecionar algumas temporadas do seriado em DVD, pois já existe material disponível no Brasil – mas a série é também pertencente ao grupo dos “seriados esquecidos pelas distribuidoras”. Mesmo incompleto em plagas nacionais, é o tipo de entretenimento que vale o investimento.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

As Coisas Esquisitas Desta Vida: O Lugar De Um Homem


A liberdade está à espreita sob os verdejantes caminhos da pradaria. Uma liberdade que não se conquista com lutas e não é provida de glórias, mas a liberdade inerente ao homem, natural à sua condição de ser, de estar, de viver, experimentando a sensação elementar aos que são livres, materializando o regozijo de um direito universal.
O lugar de um homem é inserido à liberdade que lhe caiba de direito e da qual não seja levado a abrir mão. É essa liberdade que concederá sentido a sua existência, guiando-o à apaziguadora plenitude de estar em seu lugar. Só então espalhará a boa essência de ser livre por toda a plenitude ao seu redor. O lugar resguardado ao homem em liberdade não se calcula na planta, nem se mede em escalas: corresponde ao abstrato poder de escolher o que se quer para, só assim, alcançar verdadeiramente o que se almeja.
A liberdade está à espreita sem que preceda uma escolha: direito de homens bons justos, ela caminha lado a lado com aqueles que, nela, acreditam. A espaçosa pradaria verdejante acolherá os pés daqueles que não desistirem de se manter livres. Mergulhar entre os sargaços do egoísmo e em lodaçais do destempero só leva o homem a exilar-se nas masmorras da solidão.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Seção Chek in: Turismo Na Antártida


Existem boas opções de turismo para quem pretende conhecer a Antártida sem entrar numa fria. Habitado apenas por cientistas e pessoal de apoio das bases de pesquisa – além de espécies da vida selvagem local – o “continente de gelo” possui cerca de 14 milhões de km², temperaturas médias de -10ºC em sua costa rochosa durante o verão e -40ºC no inverno, além de ventos que, eventualmente, podem chegar a 320 km/h.
Todavia, na maioria dos pacotes de viagem oferecidos, uma visita à Antártida não chega a ser considerada como “turismo radical”: a Antártida Expeditions, por exemplo, realiza expedições em seus navios nas quais os turistas podem apreciar a beleza de icebergs, colinas e ilhas povoadas por pingüins. Convém lembrar que neste pacote está incluso somente uma diária em Ushuaia, no extremo meridional da Argentina, até a partida do navio no dia seguinte. O custo da viagem fica em torno de US$ 2.500,00 por pessoa (com direito à cabine dupla, alimentação e retorno) durante a visitação à porção norte da Península Antártida, com duração prevista de 11 a 14 dias.
Mas existem outras opções: por US$ 900,00 é possível se instalar confortavelmente na base chilena O’Higgings ou, se o turista almeja um passeio mais longo, poderá fazer a circunavegação do continente a bordo de um quebra-gelo russo durante dois meses pagando, em média, US$ 25.000,00. Para saber mais sobre turismo na Antártida, visite:
www.blogdicas.com.br
www.antarcticacruises.com.ar

domingo, 5 de junho de 2011

Seção Ácaro - Grandes Momentos Da Propaganda: Cigarros Cubanos


Numa época de injustificável perseguição a fumantes, nada melhor do que lembrar os bons tempos em que a liberdade individual tinha mais prioridade do que repetitivas leis antitabaco – geralmente baseadas mais na vontade de estar na mídia de nossos políticos do que na preocupação real com a saúde e o bem-estar da população: afinal, se do contrário fosse, não teríamos hospitais públicos lotados por multidões de enfermos desesperados, além de médicos e enfermeiros mal remunerados e submetidos a extenuantes jornadas de trabalho.
Numa época em que socorrer uma criança ferida ou salvar a vida de um enfartado tinha mais importância do que alguém fumando num boteco, o cigarro Cubanos circulava por aí nas gôndolas e nos bares. Tinha como slogan “O cigarro do homem” e custava apenas NCr$ 0,80 (vai saber quanto dá isso em valores atuais!).
Publicado no final da década de 1960 num jornal carioca de grande circulação, o anúncio dá o que pensar: afinal, um cigarro chamado Cubanos num tempo de suposta repressão por parte do Regime Militar parecia soar como um acinte. Há anos propagandas de cigarro estão proibidas no Brasil, como forma de evitar o estímulo ao consumo de tabaco: é apenas mais um infeliz exemplo da repressão cada vez mais comum à suposta democracia dos dias de hoje!

sábado, 4 de junho de 2011

Seção VIRABREQUIM: Cuidado Para Que o Pneu De Seu Carro Não Se Transforme Numa Furada!


Até cerca de uma década atrás, o fim dado aos pneus usados poderia ser considerado um problema insolúvel: não se sabia direito o que fazer a eles, reservando aos pneus o destino comum de serem lançados no meio ambiente, onde levam milhares de anos até que se degradem - isso pra não falar dos depósitos de dengue quando estocados a céu aberto.
Hoje os pneus ainda constituem um problema, mas não por falta de opções de reciclagem e reaproveitamento. De massa asfáltica a aditivo para cimento, todo o pneu pode ser reutilizado - mesmo a malha de aço – e assim ocupar um espaço melhor do que rios, lixões e fundos de borracharias.
Todavia a indústria da reciclagem de pneus é ainda muito incipiente no Brasil, prevalecendo o mal uso dessa rica matéria-prima. Muito por isso, cabe a cada condutor garantir que os pneus carecas de seu carro não venham a a ter como destino a natureza.
Opções caseiras existem: nas garagens das casas, podem ser usados como protetores das paredes, evitando arranhões e amassos; nos condomínios, podem ser colocados também nas paredes e pilastras da garagem, evitando incidentes com os carros dos condôminos; vasos de plantas, móveis artesanais e até isolantes de corrente elétrica podem ser outros destinos viáveis aos velhos pneumáticos.
Pneu careca é um problema cabeludo! Por isso, evitar que eles se desgastem rápido demais é bom negócio para o meio ambiente e, principalmente, para o motorista. Manter os pneus calibrados de acordo com as especificações que constam no manual do proprietário, o alinhamento em dia e respeitar o prazo de validade (5 anos) dos pneus, garantem uma boa economia para os proprietários de automóveis – e a natureza também agracede.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

DesCLASSIFICADOS: As Melhores Ofertas Para Você Perder Dinheiro!


ATENÇÃO: Informações como telefone, nome do vendedor e site de origem foram ocultadas para proteger a identidade do anunciante.

VOLKSWAGEN FUSCA fusca 66 modelo fafa.
R$ 950

Carros: VOLKSWAGEN FUSCA, modelo 1966, 4 cilindradas, com 189.000 quilômetros, Branco, Gasolina. fusca 66 modelo fafa mecanica boa lataria razoavel documentos extraviados foram para o lixo nao tem restrinçoes. tijuca. nao aceito trocas pois estou duro.. Preço: R$ 950

Análise do Blog:
Legais estes anúncios nos quais o vendedor quase implora para que alguém compre seu carro! Mas como fazê-lo se, logo de cara, o sujeito afirma que seu VW Fusca, fabricado há quase 50 anos, rodou apenas 189.000 quilômetros? Difícil acreditar – a não ser que tenha ficado parado numa garagem por uns 40 anos! E a lataria, afinal de contas, como está: boa ou razoável? E como um carro cujo documento foi parar no lixo não possui restrições? Não dá para chegar à esquina com ele sem temer uma eventual blitz – isso sem contar a impossibilidade de regularizar o velho Fusquinha ou até mesmo de saber se o carro tem ou não procedência. Em tempo: o carro já foi alterado a tal ponto que, em 1966, o modelo ainda tinha os frisos que, neste caso, desapareceram. Além disso, o famoso Fusca Fafá só passou ser produzido em meados da década de 1970. É muita trapalhada para um anúncio só!

Conclusão do Blog:
Ao menos em uma coisa o anunciante se mostra sincero: não aceitar trocas por estar duro. Porém, duro mesmo vai ficar algum comprador incauto que venha a se interessar por este VW Fusca!

quinta-feira, 2 de junho de 2011

As Difíceis Escolhas Da Vida: As Pequenas Mentiras Do Dia-a-Dia!


Assim como todo mundo, O Homem do Canadá também está acostumado àquelas pequenas mentiras que ouvimos por aí quase todos os dias, quase sem pensar, quase sem querer... Algumas são relativamente inócuas, outras podem nos trazer prejuízos financeiros e algumas, até mesmo, nos magoar. Mas o fato é que tais mentiras existem e, por isso, quase prestando um serviço de utilidade pública ao visitante do blog, seguem abaixo alguns caôs muito comuns. Provavelmente você já deve ter ouvido alguns deles na vida - só não vai dizer que não: vai tá na cara que é mentira!

* Satisfação garantida ou seu dinheiro de volta;
* Você está cada vez mais jovem;
* Pode contar comigo;
* Nunca broxei;
* Você foi a melhor transa que eu tive;
* Pode deixar que eu te ligo;
* Seu bebê é lindo;
* Nossa, como você emagreceu;
* Somos apenas bons amigos;
* Não se preocupe, vai dar tudo certo;
* Com certeza no final de semana seu carro vai tá pronto;
* Só bebo socialmente;
* Não vou contar pra ninguém;
* Eu estava passando por aqui e, não sei porque, resolvi subir;
* Isso é para o seu próprio bem;
* Isso vai doer mais em mim do que em você;
* Pode me emprestar o carro tranqüilo que eu só vou até 80;
* Pode levar a roupa que ela não vai encolher;
* Essa roupa é a sua cara;
* Tudo o que é meu, é seu;
* Isso nunca aconteceu comigo;
* Só vou pôr a cabecinha;
* Dinheiro não traz felicidade.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Seção Colírio: Manu Pesoti


A visão da modelo Manu Pesoti deitada na areia mostrando os atributos que, com tanto capricho, a natureza lhe concedeu, dá o que pensar! E não que isso incite segundas intenções: está mais para terceiras, quartas, quintas! Com esse sorriso de moleca, Manu Pesoti tem a seus pés qualquer homem de bom gosto com níveis normais de testosterona – aqueles que possuem um pouco mais do hormônio acabam mesmo por enlouquecer! Hoje a gata abrilhanta a Seção Colírio da semana, para alegria e devaneio do visitante do blog. Sei lá: de repente bateu uma vontade de ir à praia...